VIII Evento Comunitário e Multi-cultural

 

A Associação Luso Cabo-verdiana de Sintra – ACAS realiza, nos dias 10 e 11 de Setembro, o VIII Evento Comunitário e Multicultural em honra da Nossa Senhora da Boa Viagem, com torneios desportivos, workshops diversos, jogos tradicionais, Missa, Procissão, almoço comunitário e animação multicultural.

O evento, que terá lugar na Serra das Minas, bairro do “PIKA PAU”onde a ACAS se encontra sedeada, é patrocinado pelo Alto Comissariado para a Imigração e Dialogo Intercultural – ACIDI e conta com o apoio da Câmara Municipal de Sintra e Junta de Freguesia de Rio de Mouro.

As actividades começam no sábado, dia 10, com um torneio de futebol, churrasco para participantes, workshop de Capoeira, Judo, kick Boxing entre outros, e uma Gincana Comunitária envolvendo crianças, jovens e seus familiares.

À noite, enquanto se prepara o almoço do dia seguinte, haverá um momento de convívio onde os presentes poderão recordar as actividades que ACAS tem vindo a concretizar através de exibição de vídeos e imagens registados no passado.

Domingo, dia 11, as actividades terão início às 11h30 com a Missa na Igreja de São José em Algueirão, testemunhada por juízes e animada por um corro de cântico em crioulo.

Haverá também uma procissão no interior do bairro, seguida de desfile do grupo Colá São João da Associação Moinho da Juventude e um almoço comunitário oferecido pelos juízes e animação de palco. Esta estará a cargo do DJ Peixe e de um grupo de crianças multifacetadas que irão cantar e dançar, acompanhando o artista convidado que será uma surpresa.

O Evento Comunitário e Multicultural teve a sua primeira edição em 2003 por iniciativa de mulheres que integravam o grupo de batuque, com intuito de recriar as vivências cabo-verdianas no bairro.

De acordo com a Rosa Moniz, presidente da ACAS, “é um momento de interacção da população de todas as idades, uma forma dos adultos transmitirem os seus saberes tradicionais aos mais novos.”

Em 2004, o evento ganhou uma grande dimensão tendo conseguindo trazer ao bairro duas artistas cabo-verdianas conceituadas: Nancy Vieira e Lura e ainda um grupo proveniente de Cabo Verde especificamente para o efeito.

Em 2005, a festa foi dividida em dois fins-de-semana - o primeiro restrito à comunidade, juízes e convidados e o segundo aberto a todos, com um cartaz recheado de artistas de renome como Tabanca Djazz, Guto Pires, Juca e Gil Semedo.

Em 2006, por falta de financiamento o evento regressou ao tamanho comunitário e manteve-se assim até então, tendo ganho em 2008 um carácter internacional com o acolhimento de jovens polacos e britânicos que se encontravam em Portugal num intercâmbio de jovens.

SAPO